A assinatura de todas as coisas

“Em seus primeiros cinco anos de vida, Alma Whittaker foi mesmo uma mera passageira no mundo – como todos somos passageiros em tão tenra infância…”

Elizabeth Gilbert, uma americana de Connecticut, escreveu um “best seller” mundial em 2008. “Comer, Rezar, Amar” vendeu 8,5 milhões de exemplares, virou filme (para ver o trailer, clique  aqui) em 2010 e a autora foi interpretada por ninguém menos que Julia Roberts no cinema.
Daí que se pode imaginar a pressão dos agentes literários e dos seus leitores para um novo livro. “A Assinatura de todas as coisas” veio ao mundo em 2010, não antes de três anos de gestação: pesquisa árdua sobre o mundo da ciência e da botânica.

Se no primeiro livro sua vida foi a matéria-prima, em “A Assinatura…”, Liz criou Alma Whitaker, personagem do Século XIX, quando uma mulher que tivesse a vocação para ser cientista não era algo muito comum. Mas Alma não nasceu nem foi criada para ser uma mulher no padrão estabelecido pela sociedade. Alma tinha uma alma diferente. Ironicamente inteligente mas desprovida da beleza física padrão, herdou a determinação do pai Henry, homem rude, que penou muito para se tornar um pioneiro empreendedor da botânica. Da mãe Beatrix, teve a educação de uma holandesa severa que a preteriu em relação a Prudence, sua irmã adotiva. O relacionamento das irmãs é complicado e a ele se soma a instigante Retta, amiga e vizinha que cria contrapontos ainda maiores. Esse é o pano de fundo da vida de Alma que também tem uma grande dose de romance mas que a leva ao fim do mundo para tirá-la definitivamente da sua zona de conforto.

Por que eu gostei muito desse livro? Tudo bem que poderia ter uma economia nas explicações sobre os musgos e as plantas… Mas essa é uma história de uma criatura sensível e forte ao mesmo tempo. Alma sofre no amor. Em compensação, se encontra consigo mesma, com sua origem e com um mundo à parte, da natureza e da ciência. E, pessoalmente, acho que isso não é nada fácil. Alma seria um Charles Darwin de saias, uma mulher extraordinária como tantas outras que poderiam passar despercebidas. E Liz contrapõe a ciência e uma “força estranha” que dá sentido a cada pequena coisa no universo. O título não é à toa. E eu realmente acredito que todas as coisas tem uma assinatura…


Se gostou e quer mais…

A página oficial da Elizabeth Gilbert possui mais detalhes da sua biografia e de seus livros. Veja aqui.

Elizabeth Gilbert

Além disso, a palestra dela no TED em fevereiro/2009, “Your elusive creative genious”, algo como “Seu muito difícil gênio criativo” em tradução livre para o português, teve mais de 10 milhões de visualizações. É impressionante como ela consegue transmitir o desafio que é o processo de criação. O áudio está em inglês mas possui legenda em português. Clique aqui para assistir.

Captura de Tela 2015-08-07 às 16.31.15


 

Gostou da resenha e quer ler o livro? Você pode acessá-lo clicando na imagem abaixo. Comprando pela Amazon, você me ajuda a manter a página e não paga a mais por isso 😉


 

Título em Português: A ASSINATURA DE TODAS AS COISAS

Título Original: THE SIGNATURE OF ALL THINGS

Autora: Elizabeth Gilbert (USA)

Gênero: Ficção

Nr. Páginas: 520

Ano: 2013

Editora: Objetiva (Selo Alfaguara)

ISBN: 9788579622601

Tradução: Débora Landsberg

Para ver a o link do livro na página da Editora Objetiva, clique aqui.

Um comentário em “A assinatura de todas as coisas

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: