Cinco esquinas

“Había despertado o seguía soñando?”

Cinco Esquinas é um bairro obscuro e perigoso em Lima, no Peru. Assim como a época que Vargas Llosa quis retratar em seu mais recente romance.

Nos Anos 90, curiosamente, o Peru poderia ter sido governado pelo Nobel de Literatura. O autor concorreu à presidência do país com Alberto Fujimori mas perdeu a disputa e foi morar em Madrid, na Espanha. Em 2016, lançou Cinco esquinas, uma obra de ficção, porém contextualizada no período em questão, com nuances que só Vargas Llosa poderia atribuir. O lançamento coroou a celebração dos 80 anos do autor e dos 60 da publicação de seu primeiro relato.

1083566_284023

Foto: Divulgação

O título, ao contrário de suas outras obras, não acompanhou o processo de escrita. Ele surgiu depois, em uma visita a um lugar, outrora elegante, intersecção incomum onde se situaram embaixadas importantes e que Vargas Llosa frequentava na época em que iniciou sua carreira como jornalista. Agora decadente, se mostrou o cenário perfeito para abrigar o submundo do jornalismo amarelo, como é conhecido fora do Brasil, ou imprensa marrom, como chamamos aqui os veículos de comunicação que exploram o sensacionalismo e o escândalo.

cinco-esquinas_morgana-vargas-llosa

Crédito: Morgana Vargas Llosa

A história se desenrola basicamente em dois núcleos que se relacionam. O primeiro é representado pelos casais Luciano e ChabelaQuique e Marisa que são amigos e gozam de uma vida de luxo, resultado de uma bem sucedida carreira profissional e que também lhes confere uma excelente posição social. No segundo, estão Roland Garro e Julieta Leguizamón, respectivamente proprietário e funcionária da Revista Destapes.

O momento político, econômico e social é conturbado: um governo autoritário e repressivo com medidas radicais e antidemocráticas e violações aos direitos humanos. Além disso, ocorre a atuação de grupos guerrilheiros como o Sendero Luminoso e o Movimento Revolucionário Túpac Amaru que defendiam a via da revolução para a implantação do Socialismo / Comunismo.

Dado esse pano de fundo, a trama começa quando, em função de desse momento, as pessoas se submetem ao toque de recolher que lhes tira a liberdade do convívio social noturno. Chabela e Marisa passam uma noite juntas e experimentam um novo jogo erótico entre elas. Em seguida, Quique, empresário do ramo da mineração, é chantageado por Garro por ter participado secretamente de uma orgia sexual no passado. São esses desejos velados as fagulhas para escândalos em um modelo de sociedade que tem vida dupla.

Luciano, que é advogado, é acionado para ajudar Quique a lidar com a chantagem que o desespera. Julieta, aprendiz de jornalista marrom, se posiciona na retaguarda de Garro para preparar a matéria que envolve o empresário.

No entanto, como nada é tão simples como parece, o que move a Destapes é um bastidor ainda mais sórdido de interesses de poder que envolve os personagens reais Fujimori e seu braço direito, Vladimiro Montesinos, mais conhecido como o Doutor, que era o Chefe do Serviço de Inteligência do Peru. Mostra-se como essas forças atuavam de maneira a destruir imagens, seja de políticos, empresários, daqueles que atrapalhavam ou ameaçavam o projeto fujimorista. A verdade é que essa manipulação funcionava como uma arma política.

Capa Cinco Esquinas br.jpg

Capa da edição brasileira

Cinco esquinas é um surpreendente thriller de bastidores. Provoca um sentimento de desconforto tão comum aos que acompanham a política e se assustam a cada dia com as desfaçatezes dos que atuam nas esferas menores e maiores desse mundo. O título, tardiamente escolhido, caiu como uma luva. Em paralelo à questão política, convergem o erotismo, o jornalismo sensacionalista, a disputa de poder e a hipocrisia, aspectos presentes em outras obras do autor, formando um cruzamento explosivo.

A discussão que permeia a leitura é a da ética. Expor a hipocrisia ao custo do interesse do poder e de alimentar uma obsessão sensacionalista dos que consomem fofocas, boatos e escândalos é sórdido de igual forma e alimenta um círculo vicioso que não favorece a extinção do sistema.

Se o romance se situasse um pouco adiante no tempo, no Século XXI, poderia presenciar que, no lugar do jornal impresso, dos tablóides e revistas, temos a internet e a rede social. No lugar dos escândalos, temos a pós-verdade como algo mais importante que fatos verídicos e devidamente comprovados. No lugar das pessoas, temos os robôs que replicam memes. São simplesmente fatos distorcidos ou mentiras sendo repercutidas na velocidade da luz em favor dos mesmos interesses escusos na política e na vida.

Cinco esquinas é uma obra importante, que ajuda a projetar através da ficção e contexto real, o mundo atual.


Gostou da resenha e quer ler o livro? Você pode acessá-lo clicando na imagem abaixo. Comprando pela Amazon, você me ajuda a manter a página e não paga a mais por isso 😉


Título em Português: CINCO ESQUINAS

Título Original: CINCO ESQUINAS

Autor: MARIO VARGAS LLOSA

Gênero: Ficção

Nr. Páginas: 216

Ano: 2016

Editora: Alfaguara

ISBN: 9788556520227

Tradução: Paulina Wacht

Para ver o link do livro na página da Alfaguara – Brasil, clique aqui.

Para ver o link do livro na página da Alfaguara – Espanha, clique aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: