Drogas: as histórias que não te contaram

“Sempre tive muito medo de perder o controle de situações, tendo plano para tudo e sendo responsável até demais.”

Medo. Sentimento que ou nos preserva ou nos paralisa. Mas que também pode motivar. Ilona Szabó de Carvalho, bacharel em Relações Internacionais, mestre em Estudos de Conflito e Paz e especialista em Desenvolvimento Internacional, se motivou. Ela começa seu livro, escrito em colaboração com a jornalista Isabel Clemente, assumindo o medo, porém, o racionaliza, transformando-o em coragem e luta.

Fotos de divulgação da página oficial do livro

Lançado em 2017, Drogas: as histórias que não te contaram, é um projeto embasado em pesquisa e experiência, resultado de um trabalho que vem sendo desenvolvido ao longo de anos. E é isso que dá credibilidade à ficção criada pelas autoras.

A obra é estruturada de forma didática e acredito que isso seja proposital. Assim como Ilona teve, muitos de nós ainda tem medo. Do sofrimento e da violência. E, consequentemente, evitamos tocar na ferida. Essa leitura pode nos ajudar a transformar esse sentimento porque propõe colocar a pauta em discussão.

São 5 personagens semi-ficcionais e que se conectam para mostrar a relação existente entre os vários elementos de um sistema. Daniel é um menino recrutado pelas Farc na Colômbia. Seu destino cruza com o de Irina, uma jovem carioca, convencida pelo companheiro preso a transportar drogas. Mete-Bala sonhava ser dançarino mas assume a boca de fumo de um morro carioca. Jaqueline é a responsável pela operação que o cerca e se torna a primeira comandante de UPP do Rio de Janeiro. Cadu é o irmão da policial e é dependente químico.

As histórias, entrelaçadas, mapeiam a rede. Impossível não reconhecê-las. E, embora na realidade a maioria delas não tenha final feliz, as autoras não passam pessimismo. Elas mostram fatos e dados que fazem refletir a respeito das políticas públicas atuais traçando um paralelo com estudos e soluções adotadas por países que mudaram o foco da repressão para a descriminalização do uso de drogas.

Através da história de Daniel, é exposto o problema do recrutamento de crianças e adolescentes por guerrilhas ligadas ao narcotráfico e o fracasso do Plano Colômbia ao utilizar a estratégia de estrangular a oferta de drogas. É possível perceber como o cultivo migra para outros países latino-americanos e a produção continua chegando no mercado consumidor.

Através de Irina e Mete-Bala, pode-se fazer uma ideia do esquema de distribuição ilegal que tem raízes mais profundas do que imaginamos. Tanto na Colômbia como nos morros cariocas, uma espécie de recrutamento involuntário acontece. Lá, famílias vendem seus filhos. Aqui, famílias perdem o controle. Sempre em função da falta de oportunidades, da miséria e da falta de apoio do Estado para problemas básicos e estruturais.

Através de Jaqueline e Carlos Eduardo, aquela que personificaria a repressão encontra o suposto alvo dentro de casa mas revela como a questão poderia ser diferente se enxergássemos o vício como dependência química e caso de saúde pública e não como crime. Nesse sentido, os recursos financeiros poderiam ser deslocados do âmbito judicial para o social e o trabalho, de longo prazo, seria de prevenção e não de repressão. A proposta é apresentar alternativas para um problema que afeta a todos, de forma direta e indireta, que pode e precisa ser repensado: um novo olhar diante de um cenário extremamente complexo e hostil. Para isso, é necessário combinar, ainda que pareça inusitado, informação e empatia.

Definitivamente, esse não é um caminho fácil mas não tem volta. O diálogo é imprescindível e pode acontecer se abrirmos a mente e tivermos boa vontade. Somos nós, como sociedade, que precisamos provocar esse debate.

Além do livro, vale também conhecer os projetos do Instituto Igarapé que é um think and do tank fundado pela Ilona e seu marido, o canadense Robert Muggah. O instituto é uma organização independente que visa estudar e propor políticas públicas para problemas como o crescimento desordenado das cidades, a violência e também a questão das drogas. Possui parcerias com vários órgãos internacionais que o apoiam. Outra dica é assistir o documentário Quebrando o tabu que também contou com a participação da Ilona e sua palestra no TED.

tg14_100814_dd5a2093_1920.jpg

Tudo que se deseja, afinal, é combater uma situação que além do medo, causa dor. Para isso, é preciso aprofundar. Ainda que seja para sustentar um argumento diferente. Comece pelo livro. Não há tempo a perder.


Gostou da resenha e quer ler o livro? Você pode acessá-lo clicando na imagem abaixo. Comprando pela Amazon, você me ajuda a manter a página e não paga a mais por isso 😉


Título: DROGAS: AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTARAM

Autor: ILONA SZABÓ

Colaboração: ISABEL CLEMENTE

Prefácio: Drauzio Varella

Gênero: Comportamento

Ano: 2017

Editora: Zahar

ISBN: 9788537816202

Nr. Páginas: 200

Capa: Rafael Nobre / Babilonia Cultura Editorial

Ilustração de capa: Cadu França / Babilonia Cultura Editorial

Gostou da resenha e quer ler o livro? Você pode acessá-lo por aqui. Comprando pela Amazon, você me ajuda a manter a página e não paga mais por isso 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: